O Décimo Livro Profético

Jonas, o décimo dos dezessete livros proféticos (de Isaías a Malaquias). Nínive está a nordeste; Társis fica a oeste. Quando Deus chama Jonas para pregar o arrependimento aos ninivitas maus, o profeta sabe que a misericórdia de Deus pode perdoar. Ele desiste da tarefa e vai para Társis.

Mas uma vez que Deus amorteceu seus espíritos (lançando-o para fora do barco e na água) e demonstrou Sua proteção (ao tirá-lo da água e colocá-lo no peixe), Jonas percebe que Deus leva a sério Sua ordem. Nínive deve ouvir a palavra do Senhor; portanto Jonas vai. Embora a pregação seja um sucesso, o pregador sai zangado e desencorajado e ele deve aprender em primeira mão a compaixão de Deus pelos homens pecadores.

Yonah é a palavra hebraica para “pomba”.

A Septuaginta helenizou esta palavra em Ionas, e a Vulgata Latina usou o título Jonas.

Autor

Jonas 1:1 especificamente identifica o profeta Jonas como o autor do Livro de Jonas.

Quando foi escrito

O Livro de Jonas foi provavelmente escrito entre 793 e 758 AC.

Esboço

  1. Jonas foge do Senhor (Jn 1:1-17)
  2. Oração de Jonas (2:1-10)
  3. Nínive se arrepende (3:1-10)
  4. O descontentamento de Jonas e a misericórdia de Deus (4:1-11)

Propósito

Desobediência e revitalização são os principais temas deste livro. A experiência de Jonas no ventre da baleia lhe proporciona uma oportunidade única para buscar uma libertação ao se arrepender durante este retiro bastante diferente. Sua desobediência inicial o leva não apenas à sua revitalização pessoal, mas à dos ninivitas também. Muitos classificam a restauração que ele trouxe a Nínive como um dos maiores esforços evangelísticos de todos os tempos.

 

Fontes

  • Introdução traduzida de New King James Version® Copyright © 1982 by Thomas Nelson
  • Got Questions