A Primeira Epístola Universal

A Carta aos Hebreus, a primeira das oito cartas universais (de Hebreus a Judas). Muitos crentes judeus, tendo saído do judaísmo para o cristianismo, querem reverter seu curso para escapar da perseguição de seus compatriotas. O escritor de Hebreus exorta-os a “prosseguir para a perfeição” (6:1). Seu apelo é baseado na superioridade de Cristo sobre o sistema judaico. Cristo é melhor que os anjos, porque eles O adoram. Ele é melhor que Moisés, porque Ele o criou. Ele é melhor do que o sacerdócio Aarônico, pois seu sacrifício foi definitivo. Ele é melhor do que a lei, porque ele mediou uma perfeita aliança. Em suma, há mais a ganhar em Cristo do que se perder no judaísmo. Sofrer pressão em Cristo produz fé testada, autodisciplina e um amor visível visto em boas obras.

Embora a King James Version use o título “A Epístola de Paulo, o Apóstolo, aos Hebreus”, não há evidências nos primeiros manuscritos para apoiá-la. O título mais antigo e confiável é simplesmente Pros Ebraious, “Aos Hebreus”.

Autor

Embora alguns incluam o livro de Hebreus entre os escritos do apóstolo Paulo, a identidade do autor permanece um enigma. Em falta está a saudação habitual de Paulo que pode ser encontrada em suas outras obras. Além disso, a sugestão de que o escritor desta epístola baseara-se no conhecimento e na informação fornecida por pessoas que tinham sido testemunhas oculares reais de Jesus Cristo (2:3) torna duvidosa a autoria paulina.

Alguns acham que Lucas foi o autor; outros sugerem que Hebreus tenha sido escrito por Apolo, Barnabé, Silas, Felipe, ou Áquila e Priscila. Independentemente de qual mão humana segurou a caneta, o Espírito Santo de Deus é o autor divino de toda a Escritura (2Tm 3:16); portanto, Hebreus fala com a mesma autoridade canônica como os outros sessenta e cinco livros da Bíblia.

Quando foi escrito

Clemente, um dos pais da igreja primitiva, citou o livro de Hebreus em 95 dC. No entanto, provas internas, tais como o fato de que Timóteo estava vivo no momento em que a carta foi escrita e a ausência de qualquer evidência mostrando o fim do sistema sacrificial do Antigo Testamento, o qual ocorrera com a destruição de Jerusalém em 70 dC, indicam que o livro foi escrito por volta de 65 dC.

Esboço

  • Prólogo: Jesus Cristo, a perfeita revelação de Deus (1:1-4)
  • A superioridade do Filho
    • O Filho, superior aos anjos (1:52:18)
    • O Filho, superior a Moisés (3:14:13)
  • Jesus, o grande sumo sacerdote
    • O Filho, superior ao sacerdócio de Arão (4:147:28)
    • Jesus, mediador de uma nova aliança (8:19:22)
    • O sacrifício de Cristo é superior (9:2310:18)
  • Fé e fortalecimento no sofrimento
  • A vida cristã (13:1-19)
  • Recomendações e bênção (13:20-25)

Propósito

O falecido Dr. Walter Martin, fundador do Instituto de Investigação Cristã e autor do best-seller “Kingdom of the Cults” (Reino das Seitas), disse em sua sarcástica e habitual forma de falar que o livro de hebreus foi escrito por um hebreu para outros hebreus para dizer-lhes que deixassem de agir como hebreus. Na verdade, muitos dos primeiros crentes judeus estavam caindo de volta aos rituais do judaísmo a fim de escaparem da crescente perseguição. Esta carta, então, é uma exortação para esses crentes perseguidos a continuarem na graça de Jesus Cristo.

 

Fontes

  • Introdução traduzida de New King James Version® Copyright © 1982 by Thomas Nelson
  • Got Questions